quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Síndrome de Irlen.


Trata-se de uma dificuldade relacionada à Manutenção da AtençãoCompreensão e Memorização e à atividade ocular durante a leitura, cuja consequência é um déficit de Aprendizado, que pode comprometer o comportamento do indivíduo e suas Relações Sociais. A Síndrome de Irlen – que recebeu o nome da Dra. Helen Irlen, psicóloga americana responsável pela descoberta e pelos estudos internacionais sobre o assunto – ainda é muito pouco difundida no Brasil, apesar de já existirem Centros de Diagnóstico e Tratamento em 42 Países.

 Agora pasmem para a seriedade disso: Pesquisas indicam que cerca de 46% das pessoas com dificuldades escolares TEM Síndrome de Irlen, condição que afeta PESSOAS de todas as idades, com Inteligência Normal ou Superior à média e está relacionada à desorganização no cérebro, das INFORMAÇÕES recebidas pelo Sistema Visual.
Pesquisas realizadas no Brasil são ainda mais alarmantes: a cada 7 crianças ao menos uma apresenta algum nível de dificuldade relacionada ao Irlen!

O que causa a síndrome? 
Sua causa é uma sensibilidade extrema a certas ondas de luz, o que provoca, por exemplo, distorções em materiais de leitura e escrita, resultando em menor qualidade no desempenho escolar e de vida. Por favor, não confunda com uma simples fotofobia, ou sensibilidade aumentada para a claridade, não é disso que estamos falando. O problema é muito mais complexo. Continue me acompanhando.
Essa sensibilidade extrema a certas ondas de luz gera dificuldades nas atividades diárias e escolares, pois produz perda de foco, distorções principalmente em material gráfico ou mapas, inversões de letras, trocas de palavras, perda de linhas num texto, desconforto nos olhos, cansaço, distração, sonolência, dores de cabeça, enxaqueca, hiperatividade, irritabilidade, enjôo e fotofobia, tudo isso após um intervalo relativamente curto de esforço despendido, na tentativa de realizar o processamento das informações visuais.
Esses sintomas podem levar os profissionais da saúde a erroneamente e por total desconhecimento da Síndrome de Irlen a diagnosticar seu filho como tendo dislexia, déficit de atenção, autismo, hiperatividade, problemas de processamento auditivo e até esquizofrenia, pois o cérebro de quem sofre de Irlen é super estimulado, podendo provocar o aparecimento de alucinações visuais, auditivas e até cinestésicas.
Mas o médico de sua confiança pode ter se enganado tanto no diagnóstico de seu filho? Pode sim, simplesmente porque ele NUNCA OUVIU FALAR da Síndrome de Irlen! Acredite: fiz tratamento durante três longos anos com fonoaudiólogas para tratar do processamento audito de minha filha, dei remédio para TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) e agora descubro que a questão era de processamento visual, por isso os resultados não apareciam!
Como é o tratamento? 
São feitas intervenções psicopedagógicas e médicas para preparar a criança para lidar com a sua diferença, mas boa parte das limitações já é sanada com a utilização do método Irlen, que consiste na avaliação do problema e indicação de sobreposições coloridas chamadas de overlay (transparências de acetato) sobre os textos ou filtros seletivos (lentes coloridas em óculos que recebem um tratamento nos Estados Unidos). As transparências de acetato, ou overlay são colocadas sobre o texto ou em frente à tela do computador, filtram o excesso de  luz e permitem que a criança enxergue normalmente.
Já os óculos com lentes coloridas e especiais facilitam o dia a dia da criança e devem ser usados o tempo todo, inclusive em ambiente fechado, porque a luz branca, que é a mais comum em escolas, supermercados e estabelecimentos comerciais de modo geral,  é a mais prejudicial para o Irlen, inclusive mais incômoda do que a luz solar.
Os óculos demoram cerca de 40 dias para ficarem prontos e até lá minha filha está utilizando o overlay para realizar as leituras e tarefas escolares. A cor das lentes varia de acordo com a faixa de luz que precisa ser filtrada, e não com o gosto pessoal. Tudo isso é testado pela equipe da Dra. Marcia.
E quais são os sintomas que podem estar relacionados ao Irlen, ou seja, o que me dá pistas que talvez eu tenha um desses casos dentro de casa?

Características da Síndrome: 
·         Tropeçam com freqüência, são desastrados e deixam cair objetos;
·         Levam muito tempo para realizar leituras e para acabar a lição de casa;
·         Queixam-se de dores de cabeça, tensão ou cansaço na escola ou quando lêem;
·         Evitam a leitura ou não tem prazer em ler principalmente em voz alta;
·         Saem-se mal em testes cronometrados ou testes padronizados;
·         Lêem o começo do capítulo e os resumos ao invés de lerem o capítulo todo;
·         Tem mais facilidade em aprender nas discussões orais do que lendo;
·         Esforçam-se bastante para tirar boas notas, mas não conseguem;
·         Podem ser considerados preguiçosos ou desmotivados e sempre lhes dizem que poderiam render mais caso se esforçassem;
·         Tem problemas de fluência e compreensão da leitura;
·         Tem problemas de concentração durante a leitura ou escrita;
·         Distraem-se facilmente ao ler ou escrever;
·         Ficam distraídos ou apresentam desconforto quando estão num local com luzes fluorescentes ou brancas;
·         Entram em estado de devaneio durante a aula;
·         Não conseguem permanecer muito tempo fazendo tarefas acadêmicas;
·         Queixam-se freqüentemente de dores de cabeça, enxaqueca e outros sintomas físicos, tais como dores de estômago, tontura e fadiga;
·         Sempre que podem preferem ficar no escuro ou com fraca iluminação;
·         Sentem-se incomodados com a luz de faróis de veículos e com brilho em geral;
·         Apresentam desconforto visual ao usar o computador e terminam o dia exaustos;
·         Podem apresentar dificuldade ao olhar para listras ou xadrez;
·         Podem apresentar pouca noção corporal espacial ou dificuldade com degraus e escadas rolantes;
·         Têm dificuldade para pegar uma bola que lhes e atirada;
·         Na infância podiam apresentar tendência a brincar debaixo de móveis, dentro de guarda-roupa ou simplesmente com menos luz nos ambientes;
·         Apresentam incômodos também com o som alto ou alergias pelo corpo e principalmente nos olhos porque são extremamente sensíveis também nos outros órgãos dos sentidos;
·         Apresentam pouca coordenação motora grossa e fina.
Lentes são obrigatórias:

Outra coisa importante que você precisa saber é que as lentes são um recurso necessário porque o impacto do Irlen no desempenho de quem sofre deste quadro tende a impedi-lo de competir em igualdade de condições com seus pares, seja na escola, ou na vida adulta, uma vez que os sintomas se acentuam em locais lotados ou ruidosos, com excesso de movimentação, iluminação ou odores.
 Contribuição de Dra Márcia Luz

Mestre me Biologia Molecular pela Universidade de Paris, ex-parceira do Instituto das Forças Armadas de Washington- DC, Doutora em Neurovisão pela Faculdade de Medicina UFMG, Chefe do Departamento de Qualidade da Visão do Hospital dos Olhos de Minas Gerais, Professora e Coordenadora de Embriologia Ocular do Curso de Ciências Básicas. Como se o seu preparo técnico não bastasse, a Dra. Marcia aprendeu tudo o que sabe direto na fonte, realizando pesquisas com a equipe da NASA, sendo que vários dos equipamentos utilizados no diagnóstico que ela realiza foram trazidos de lá.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Síndrome de Solomon: O medo de se destacar!

      "Foi um experimento feito na década de 50 pelo psicólogo Solomon Asch com 123 alunos. ( João Alexandre Borba, psicólogo e mastercoach)
      Ele colocou dentro de uma sala de aula sete alunos que já sabiam a resposta de uma situação que ele criou, onde foi colocada uma imagem com três linhas completamente diferentes uma das outras e colocou uma quarta linha que era igual uma das outras três.
      Os sete alunos que sabiam a resposta foram induzidos por Asch para darem a resposta errada e diziam que a linha certa era a primeira. Enquanto isso, o oitavo estudante entrava na sala achando que o resto dos garotos participava da mesma prova de visão que ele e também era induzido. Ele até percebia o erro, mas se induzia pelos outros," explica
      O psicólogo explica que este resultado é em função de pressão social. João Borba alerta que desde a infância esta síndrome deve ser observada. "Esse movimento de olhar para si mesmo deve ser incentivado desde a infância para que o indivíduo vá se formando como alguém capaz de acreditar nele. A raiz de tudo vem muito do olhar que nossos pais dão para gente," explica.
       Uma sugestão de João Borba é fazer uma lista de 30 qualidades pessoais, para mostrar o que tem para oferecer ao mundo. Depois fazer outra lista de momentos em que a pessoa tem oportunidade de expor e aprimorar estas características, de forma que se ganhe segurança e se torne cada vez mais única e especial.





Fonte: http://www.psicologiasdobrasil.com.br


   

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Inteligências Múltiplas!

      Howard Gardner identificou nove tipos distintos de inteligências e vem pesquisando outras mais: Linguística, Lógico-Matemática, Visuo-Espacial, Cinestésica, Musical, Interpessoal, Intrapessoal, Transcedental ou Espiritualista(Existencialista) e Pictórica.
      Afirma que todo ser humano nasce com todas as inteligências e que elas são moldadas pelos estímulos recebidos para se desenvolverem. Isto torna as pessoas diferentes umas das outras, com graus variados de cada inteligência e com maneiras diferentes de as combinar e organizar.
      Ressalta que, embora independentes, raramente funcionam isoladamente.


   
      Rubem Alves vem contribuir a respeito das inteligências, apontando a necessidade da motivação, da emoção e do desejo para o aprender.
      Howard Gardner aponta que cada ser humano tem uma combinação única de inteligência. Este é o desafio educativo fundamental.



Contribuição de Copyright- Instituto de Pesquisas em Neuroeducação -Todos os direitos reservados.
         

sábado, 14 de novembro de 2015

O Autista e a Teoria da Mente!

      O autista é incapaz de realizar a leitura dos sentimentos do outro observando a sua fisionomia ou entendendo o sentido figurado de algumas falas.
      Isto se dá devido a sua insuficiência da Teoria da Mente.
      O autista não tem a capacidade da empatia, pois sua leitura de mundo é única e dele mesmo.



      A Teoria da Mente Insuficiente implica em dificuldades em:
  • Entender os sentimentos alheios.
  • Entender que os outros esperam que seu comportamento mude dependendo de onde ou com quem estão.
  • Prever o que as pessoas podem fazer em seguida.
  • Interpretar diversos gestos ou expressões faciais.
  • Entender como o seu comportamento pode irritar terceiros.
  • Entender regras sociais.
  • Expressar as próprias emoções adequadamente.
    Para auxiliar a pessoa autista é necessário mostrar ilustrações de diferentes emoções e até, se possível, mostrar vídeos de diferentes condutas humanas: risos, choro, raiva, prostração, etc.
      É necessário que o professor ou quem está ensinando a pessoa autista faça com que no momento da fala o seu olhar encontre com o olhar do autista.
      Trabalhar com mímicas e/ou dramatizações em que a pessoa autista visualize diferentes comportamentos e se conseguir atuar no teatro, que faça diferentes papéis na peça, com a possibilidade de se colocar no lugar do outro e experienciar diferentes emoções.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Atividades de Coordenação Óculo Motora e Traçados de Letras, Números e Figuras Geométricas!

      Algumas Atividades Práticas para a estimulação à Coordenação Óculo Motora:

      Através de Brinquedos Construtivos, alunos podem receber estimulação à Lateralidade, Coordenação óculo Motora, traçados de Letras e Números e fixação das Figuras Geométricas.

      Durante os vários exercícios, eles brincam e descobrem os traçados que devem fazer para realizar as figuras, os caminhos, as letras e os números.
   





















     Fonte: OG Brinquedos Construtivos de Ana Guimarães

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Mielinização: Anatomia da Aprendizagem!

      Na Anatomia da Aprendizagem vale citar o Mielinização.
      Mielinização é a camada de gordura que se forma nos axônios, terminação da célula nervosa.



      A Mielinização quando bem espessa auxilia para que as conexões, e os estímulos ocorram rapidamente entre um neurônio e outro. As sinapses ocorrem com mais frequência e rapidez.
      Uma boa Mielinização é responsável pelo raciocínio rápido e auxilia para que a aprendizagem ocorra  também rapidamente. Portanto, se um aluno tem dificuldades de compreensão e entendimento das informações que são passadas a ele, não consegue interpretar, não podemos refutar a possibilidade de seu orgânico ser o responsável por isso.
      A formação da Mielinização ocorre, inicialmente, com a amamentação, mais específicamente, com o colostro, que é o primeiro leite que o bebê suga de sua mãe.





      A alimentação, os exercícios físicos, a música, realizar coisas diferentes, mudar hábitos auxiliam na formação de sinapses e de neurotransmissores.
     Exercitar o cérebro e ter alimentação adequada é importantíssimo. Evite fazer sempre as mesmas coisas, busque novidades e estimule o seu SNC, Sistema Nervoso Central.




domingo, 21 de junho de 2015

Memória de Curto Prazo!

      A memória pode ser definida como a capacidade do indivíduo de gravar as experiências e acontecimentos ao longo da vida.
      Pode ser através da experiência sensorial: visual, auditiva, tátil e gustativa.
      Pode ser através do material verbal ou não verbal.
      A Mémória de Curto Prazo é o aspecto da memória que envolve lembrança imediata.
      No tratamento das disfunções da memória é importante identificar a fonte da dificuldade, se possível, bem como a natureza e parâmetros da disfunção. Entendendo-se o mecanismo da dificuldade pode-se conduzir ao desenvolvimento das intervenções apropriadas.
      A intervenção Psicopedagógica em indivíduos que tem problema de retenção vem no sentido de auxiliar para que este faça um maior número de relação entre o objeto de estudo (o que quer ou o que precisa aprender ) e suas estruturas mentais.
      No exemplo de atividade de estimulação da memória de curto prazo através de um ditado de imagens com tempo de visualização cronometrado em 1min e 1/2 a 2 minutos, cada profissional pode realizar a confecção de suas cartelas para visualização com o conteúdo que quiser que o indivíduo venha a memorizar.


      Mostra-se a cartela por 1min 1/2 a 2min. Após o indivíduo deve  escrever todos os nomes que lembrar na lista determinada.


      A correção deve ser feita logo que o indivíduo termina de escrever. Mostra-se a ele a quantidade de acertos e erros, se for o caso. Após, segue-se a atividade com outras cartelas repetindo os procedimentos para que o indivíduo perceba o seu avanço ou não, na retenção de informações.
      Outros modelos de cartelas:


      As imagens selecionadas possuem relação de semelhanças em algum aspecto. Na cartela acima, todas as imagens são instrumentos musicais. Esta semelhança entre as imagens é um auxílio para a retenção.


      Foi percebido na avaliação da memória de curto prazo, que o indivíduo demonstrou maior facilidade na memorização com as cartelas que possuiam imagens cujos nomes iniciavam com a mesma letra.



 



FONTE:
BOSSA, N.A. Dificuldades de Aprendizagem: o que são? Como tratá-las? POA. Artes Médicas Sul, 2000.
AMEM, D.G. Transforme seu Cérebro, transforme sua vida. SP. Mercuryo, 2000.